Turista por adoção

Hoje volto a ser turista.
Volto a perder-me pelas ruas de todos os dias e a descobrir o que nunca tinha visto.
Aproveito o dia sem chuva para deâmbular sózinho por onde antes, só ou acompanhado, passei tantas vezes.
Descubro a cidade que não se descobre na visita mas na vivência diária com dedicação e carinho na atenção dispendida de coração cheio e apaixonado.
Sou turista por adoção.
E é entre amigos, que de alguma forma também me adotaram, que o meu passeio termina, num lugar que visito assiduamente e onde me sinto em casa.

20151025© Mario BrandaoDSCF2757 20151025© Mario BrandaoDSCF2760 20151025© Mario BrandaoDSCF2764
At Espiga 20151025© Mario BrandaoDSCF276720151025_DSCF2769Esta última fotografia é da autoria de Inês Viseu, coproprietária do Espiga, que se divertiu com a minha máquina enquanto conversavamos.

Senta-te comigo

Senta-te comigoÉ domingo de manhã. O céu coberto convida a sair sem a companhia do sol agressivo que me torra a pele. Não saio só, levo a máquina fotográfica à cinta e a bicicleta que me leva a mim. Vou mais longe assim e o corpo sedentário aproveita o exercício. O itinerário repete-se a cada domingo, Mercado Ferreira Borges para pegar a marginal até à Foz e continuo até que acaba a praia em Matosinhos. Na volta pelo Parque da Cidade é que o corpo começa a puxar, páro para beber e descansar e preparar-me para a subida da Avenida da Boavista, e… Já estou a fotografar! Preciso ir ali e usar a máquina para registar o que acabo de fotografar. Uau! Que luz! Que cores! Aqui, sentava-me contigo!

Ver mais fotografias dos meus passeios.

Domingo à tarde no parque

Domingo passado fui passear sozinho, ao fim da tarde, como já não fazia há muito tempo.
Bem, sozinho mas bem acompanhado pela minha máquina fotográfica e uma dose dupla de inspiração.
Já tinha saudades de deambular, atento a tudo para poder visualizar as imagens que iria registar. É sempre uma questão de fotografar primeiro com a mente e depois reproduzir com a máquina.
Definitivamente, tenho que o fazer mais vezes!